EDIÇÃO 127 | JULHO | 2010 | ENGENHARIA | CONHEÇA A REVISTA MULTIMÍDIA MECÂNICA ONLINE
FPT – Powertrain Technologies inaugura
sua nova unidade industrial em Campo Largo, no Paraná

Local será sede da maior e mais moderna planta para produção de motores midsize na América Latina, responsável pela fabricação da nova família E.torQ

Com Assessoria de imprensa da FPT
Fotos | Divulgação, Inailza Alves e Ricardo Hernandes

                Após dois anos de investimentos em intervenções tecnológicas, a FPT – Powertrain Technologies inaugura a mais moderna unidade produtora de motores midsize da América Latina. A fábrica, localizada em Campo Largo (PR), na região metropolitana de Curitiba, será responsável pela fabricação da família de propulsores E.torQ, nas versões 1.6l 16v e 1.8l 16v, flex e a gasolina. A produção da FPT Campo Largo teve início em fevereiro, com capacidade inicial de 330 mil motores por ano, com previsão de chegar a 400 mil em 2012.

A inauguração é o desfecho da aquisição da Tritec Motors – ex-fornecedora de motores para veículos como o Chrysler PT Cruiser e o BMW Mini Cooper – pela FPT, em março de 2008. Desde então, a multinacional italiana realizou investimentos que somam R$ 250 milhões para tornar a fábrica ainda mais moderna, alcançando um patamar de excelência em produtos e processos.

Fábrica da FPT - Campo Largo / PR
Unidade industrial da FPT em Campo Largo no Paraná

Com a nova unidade, a FPT aumenta em cerca de 20% sua capacidade instalada no Mercosul, atingindo um potencial produtivo de 2,5 milhões de sistemas de propulsão por ano. “Antes da aquisição, a produção desta planta era voltada exclusivamente para a exportação, o que atesta o caráter global dos novos motores E.torQ. Hoje estamos prontos para atender não só o mercado brasileiro e sul americano quanto clientes dos cinco continentes, pertencentes ou não ao Grupo Fiat, o que é um grande passo na estratégia da FPT”, comenta Franco Ciranni, superintendente da FPT para o Mercosul.

Entre as principais intervenções realizadas na fábrica desde a aquisição estão o aumento de capacidade, com remoção de gargalos; a implantação de um robusto programa de formação de colaboradores, com a disseminação da cultura e best practices do Grupo Fiat; a atualização tecnológica dos equipamentos e o desenvolvimento e reativação de fornecedores.

Atualmente, a fábrica possui 350 colaboradores. Quando atingir a plena capacidade, terá um total de 500 funcionários diretos, além de gerar aproximadamente 1.500 empregos indiretos. “Procuramos manter os empregados que já trabalhavam na planta antes do fim das operações. Agora, com o início da produção, recontratamos também pessoas que já fizeram parte da equipe porque já conhecem bem os processos e o padrão de qualidade desta unidade”, relata Marcelo Reis, plant manager da unidade paranaense.

Fábrica da FPT - Campo Largo / PR
Momento solene: inauguração oficial da nova fábrica da FPT em Campo Largo/PR
Fábrica da FPT - Campo Largo / PR

Por dentro da fábrica - Concebida com o conceito de produção enxuta, a FPT Campo Largo é uma unidade industrial diferenciada, considerando aspectos como ecologia, qualidade, alto nível do corpo profissional, gestão, produtos e processos – com elevado índice de automação e alta tecnologia incorporada.

A fábrica conta com quatro linhas de usinagem, para bloco, virabrequim, biela e cabeçote, com um total de 54 máquinas. Um dos seus principais diferenciais é a automação no abastecimento de usinados à linha de montagem via “gantries” (abastecimento aéreo). A tecnologia permite, por exemplo, que a unidade opere sem empilhadeiras para abastecimento de materiais no processo produtivo – o chamado sistema fork lift free.

As linhas contam também com equipamentos de controle final, com medição e classificação de 100% das peças usinadas, além de máquinas modelo em Manutenções Autônoma e Profissional, preparadas com os mais modernos conceitos de manutenção, visando o índice zero de quebra. A excelência das peças usinadas também é assegurada pelo modelo de rota Kamishibai, uma sequência de controles capazes de garantir o cumprimento dos checks de qualidade.

Já as três linhas de montagem, que compreendem a submontagem do cabeçote, linha principal e dress-up, contam com robôs de submontagem de casquilhos e  77 equipamentos –  17 estações de teste, 12 estações automáticas, 17 estações semiautomáticas e 31 estações manuais. Essas máquinas são capazes de fazer, entre outras atividades, testes a frio com simulações de sincronismo, carga e vibrações, e provas de vedação em 100% dos motores (leak tests).

A montagem da FPT Campo Largo opera no conceito moving line, que proporciona padronização da produção e redução do estoque. A utilização do método também resulta em ganhos de produtividade, já que facilita a visualização das pequenas paradas, dos desbalanceamentos de atividades e demais perdas produtivas. Além disso, há ainda incremento de qualidade, uma vez que os problemas são evidenciados imediatamente, requerendo a parada da linha e forçando uma solução rápida e efetiva da questão. Com a possibilidade de se movimentar ao longo do ciclo de trabalho, o operador também ganha em ergonomia com a adoção desse sistema.

As linhas de usinagem e as de montagem são a prova de erros e possuem, ao todo, 189 mecanismos de detecção de erros – denominados error proofings e poka yokes –, que representam a máxima segurança do padrão de qualidade do produto final. Isso porque os dispositivos conseguem detectar falhas que possam ocorrer durante o processo produtivo (como erros de montagem, falhas funcionais, erros humanos e problemas de conformidade das peças, por exemplo). Além disso, todo o sistema é submetido a rigorosas auditorias diárias e semanais, com desmontagem de motores testados em dinamômetro.

Fábrica da FPT - Campo Largo / PR
Na nova instalação inicialmente teremos a fabricação da família de propulsores E.torQ,
nas versões 1.6l 16v (acima) e 1.8l 16v, flex e a gasolina
Fábrica da FPT - Campo Largo / PR

Logística e abastecimento - Quando a FPT concretizou a aquisição da Tritec Motors, a porcentagem de componentes importados nos motores era de 30%. A empresa, então, realizou um grande trabalho de mobilização de fornecedores, a fim de reduzir esse percentual – hoje em 10% – sem jamais abrir mão do excelência dos propulsores. A meta da FPT é, em 2011, fabricar os motores E.torQ com 95% de componentes nacionais.

Dessa maneira, a empresa também impulsiona a economia local. A projeção é de que, em médio prazo, poderá se formar um novo polo industrial automotivo nas imediações de Campo Largo, a exemplo do que ocorreu em Betim após a chegada da Fiat – o que significa empregos e riquezas para a região, além de melhorar a competitividade e o desenvolvimento industrial.

Gestão WCM - Assim como ocorre nas demais unidades da FPT no Mercosul (Betim e Sete Lagoas, em Minas Gerais, e Córdoba, na Argentina), a planta de Campo Largo adota o modelo de gestão World Class Manufacturing – WCM. Isso resulta na aplicação das mais modernas técnicas e métodos de manufatura de classe mundial, com o objetivo de alcançar altos índices de qualidade e produtividade.

O WCM observa 11 pilares técnicos: segurança, desdobramento de custos, melhoria focada, manutenção autônoma, organização do posto de trabalho, manutenção profissional, controle da qualidade, logística e atendimento ao cliente, gestão preventiva e equipamentos, desenvolvimento de pessoas e meio ambiente.

Dentro desses pilares, a gestão WCM estabelece uma série de diretrizes – o que envolve, entre outros aspectos, normas de padronização de produtos, de relação com fornecedores, disposição de materiais na fábrica e métodos científicos para executar operações de melhorias.

Na FPT Campo Largo, a abordagem do WCM visa, principalmente, à eliminação de desperdícios, além da busca do nível zero de quebra de equipamentos, de defeitos de qualidade e de acidentes de trabalho, incluindo ganhos de ergonomia para os operadores, como o consequente incremento de produtividade e qualidade de vida.

Fábrica da FPT - Campo Largo / PR
A produção da FPT Campo Largo teve início em fevereiro, com capacidade inicial de 330 mil motores por ano,
com previsão de chegar a 400 mil em 2012
Fábrica da FPT - Campo Largo / PR

Qualidade profissional e segurança - A excelência dos motores E.torQ é resultado não só das máquinas e equipamentos de última geração, mas também do trabalho de um corpo profissional extremamente qualificado. Na FPT Campo Largo, 100% dos horistas possuem ensino médio completo. Da mesma forma, 100% dos mensalistas – metade deles engenheiros – possuem ensino superior completo, sendo que 45% contam ainda com algum curso de especialização ou mestrado.

Desde que adquiriu a unidade industrial, a FPT investiu um total de R$ 5 milhões em treinamento de pessoal, incluindo a disseminação da cultura e best practices do Grupo Fiat. A valorização com seu quadro profissional também é refletida por sistemas que visam ampliar a ergonomia e a segurança no trabalho – como barreiras óticas, faixas de pedestres, totens de verificação do uso correto de Equipamentos de Proteção Individual e mecanismos para travamento de máquinas.

Fábrica da FPT Campo Largo - Paraná

Ecologia - A FPT Campo Largo está localizada em uma área de 1.300.000 m², sendo 50 mil deles de área construída. Se por um lado o número reflete a capacidade para eventuais expansões futuras, por outro mostra a grande área verde preservada pela empresa – incluindo fauna e flora ricas e duas nascentes d’água. Cerca de 50% da área total é de preservação ambiental.

Não só isso, contudo, faz com que a FPT se orgulhe em dizer que possui uma fábrica verde. Dentro e fora dela, a consciência ambiental é uma constante, envolvendo gerenciamento total de resíduos, com um índice de reciclagem de 95%.

A unidade utiliza iluminação por skylights, aproveitando ao máximo a luz solar, em detrimento da energia elétrica. Além disso, a nova planta da FPT também possui dinamômetros com geração de energia renovável, galeria técnica para filtragem do sistema de resfriamento, área mitigadora para contenção de vazamentos e, como não poderia deixar de ser, produção de motores com features ecológicos.

Fábrica da FPT - Campo Largo / PR
A meta da FPT é, em 2011, fabricar os motores E.torQ com 95% de componentes nacionais
Fábrica da FPT - Campo Largo / PR

Veja também |
Com nova família E.torQ, FPT leva motores midsize de alta tecnologia para o mercado
Novos propulsores proporcionam redução no consumo de combustível, melhor desempenho e maior confiabilidade, além de menores índices de ruídos e vibrações

http://www.mecanicaonline.com.br capa capa créditos imprimir adicione aos favoritos fale conosco fale conosco